Atualização: Preciosismo ou Necessidade?

Márcia Campos, Aquarius Software – mcampos@aquarius.com.br

Muitos sistemas industriais rodam por muitos anos sem alterações significativas. É mesmo
necessário atualizar esses sistemas periodicamente?

Há certa relutância e dúvida dos usuários de sistemas industriais sobre o melhor momento para implantar modernizações, considerando o custo-benefício que intervenções em processos de produção geram. Talvez a maior dificuldade seja medir adequadamente esse custo-benefício.

De acordo com uma reportagem da revista Exame, no Brasil, “a idade média de máquinas e equipamentos é 17 anos — ante sete anos nos Estados Unidos e cinco na Alemanha. Numa era de imensos ganhos tecnológicos, as empresas brasileiras estão presas a tecnologias ultrapassadas, o que afeta diretamente a produtividade do país”.

Atualização de Softwares Industriais

Na área específica de softwares para automação industrial, a evolução é constante. É possível fazer uso de novos recursos e obter ganhos significativos em produtividade e eficiência. Mas os principais motivadores para atualizações ainda são:

  • Custo elevado para manutenção dos computadores existentes.
  • Problemas para substituir computadores antigos por novos, uma vez que ambientes desatualizados não suportam os novos processadores, quantidade de memória, disco, etc.
  • Dificuldade de conexão com novos dispositivos, como câmeras, placas de comunicação, novas interfaces, etc.
  • Falta de compatibilidade com sistemas operacionais que sejam suportados e mantidos pelos fabricantes, para garantir segurança.
  • Compatibilidade com novos softwares, drivers de comunicação e plataformas de desenvolvimento.

Mesmo assim, é comum nos depararmos com aplicações rodando em Windows 2000, XP (2001) e 2003 Server – todos com suporte descontinuado pela Microsoft – e ainda produtos como Fix32, cuja última versão é de 2001, enquanto o período de uso recomendável de um ambiente de software varia de 2 a 5 anos, dependendo da aplicação.

Em geral, atualizações mais frequentes são indicadas para aplicações que envolvem uso compartilhado de computadores, principalmente por aquelas pessoais, como editores de texto, planilhas e navegadores web. Os prazos maiores são possíveis em aplicações com computadores de uso dedicado, como interfaces de operação, onde as alterações são pouco frequentes e há baixa dependência de ambientes externos.

É importante destacar que a atualização de sistemas com maior frequência traz vantagens ao longo do tempo, como:

  • Maior segurança e disponibilidade.
  • Maior facilidade para absorver e usufruir de novas tecnologias e recursos.
  • Maior facilidade de atualização, uma vez que as mudanças tecnológicas não se acumulam e, portanto, apresentam impacto menor.
  • Menor custo a cada atualização, resultando em economia ao longo dos anos.
  • Controle e planejamento.

Um recurso que muitas empresas estão adotando com sucesso é a Virtualização. Essa tecnologia torna a aplicação menos dependente do hardware, facilitando sua manutenção e transferência de computador/ambiente. Porém, muitos dos softwares antigos requerem atualização antes da Virtualização, por questões de compatibilidade.

Por onde começar

Um levantamento geral dos computadores, sistemas operacionais e versões dos principais sistemas utilizados pela empresa provavelmente apontará quais são os pontos críticos que devem ser priorizados. É importante que sejam observadas as relações de dependência e integração entre sistemas para evitar problemas durante processos de atualização.

A partir daí, é preciso identificar o que exige substituição completa e o que pode ser aproveitado. Em geral, o custo de atualização de um software industrial é muito menor do que o custo do seu licenciamento inicial.

Atualização de Sistemas de Supervisão e Controle (SCADA)

Há casos em que atualizar um Sistema de Supervisão e Controle (SCADA) é muito simples e rápido. O Proficy iFix e o Proficy Cimplicity, por exemplo, aproveitam o aplicativo existente, oferecendo recursos automáticos para conversão de uma versão antiga para uma versão mais recente, mantendo as características e funcionalidades existentes. A atualização de Fix 32 para iFIX também preserva o investimento em desenvolvimento.

É importante observar que cada aplicação tem características próprias e aspectos como compatibilidade com equipamentos de campo, hardware, drivers de comunicação e programas de terceiros devem ser considerados. A Aquarius disponibiliza um questionário que permite uma avaliação preliminar rápida para identificar se um sistema pode ser atualizado em até 5 dias. Vale a pena checar em: Questionário-Atualização.

Conclusão

A atualização dos softwares industriais deve ser avaliada não apenas como um mecanismo para manter a produção, mas também como parte de uma estratégia que mantenha a empresa atualizada e apta a aproveitar novas tecnologias para melhorar a competitividade na sua área de atuação.

Comentar

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Captcha *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>